quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

[Vídeo] The wars that inspired Game of Thrones


Pode não ser um fato muito conhecido ao público e aos fãs, mas George R. R. Martin utilizou como pano de fundo e inspiração para seus livros mundialmente famosos As Crônicas de Gelo e Fogo, adaptados como Game of Thrones como série de tv pela emissora HBO, a Guerra das Rosas da Inglaterra. 

As disputas políticas e territoriais entre duas famílias, os Lancasters e os Yorks são um espelho para os conflitos existentes nas obras de Martin entre os Lannisters e os Starks (até no nome das Casas existe uma semelhança, não é mesmo?). 

Você pode conferir abaixo o vídeo criativo que Alex Gendler criou para explicar essa comparação de forma interessante e descontraída:

Duração do vídeo: 6 minutos





[Hoje na História] Morte de Richard, 3° duque de York




Richard, o terceiro duque de York, conde de Cambridge e March faleceu em 31 de dezembro de 1460. Ele era herdeiro do tio, Edward Plantageneta e, após sua morte, recebeu o ducado de York. Como era descendente direto de Edward III, por meio de seu avô. Portanto, Richard de York era um forte candidato ao trono por ser Lorde Protetor de Henry VI, o rei Lancaster que governava naquele momento, que era um rei fraco e débil, que entrou em colapso, o que foi a chance para que o duque exercesse seu poder como regente.  Entretanto, um ano depois, Henry VI recuperou-se de suas enfermidades e voltou a governar, desta forma, Richard iniciou sua rebelião contra os Lancaster. Richard conseguiu ser nomeado herdeiro do rei, alegando que o filho dele com Margaret de Anjou, Edward, era bastardo, pois devido à sua condição mental, o rei seria incapaz de ter gerado um filho naquele momento. 
Com a nomeação de Richard como herdeiro, Margaret de Anjou iniciou sua guerra em defesa da herança e do direito ao trono de seu filho. Desta forma, a primeira fase da Guerra das Rosas se inicia, onde o York dizia ter direito ao trono. Ele é declarado traidor pelo Parlamento, assim como todos os aliados de sua causa e em 30 de Dezembro de 1460 acontece a batalha de Wakefield, na qual Richard de York é derrotado e capturado, junto com seu maior aliado, Conde de Salisbury (pai de Richard Neville, the Kingsmaker). 
No dia seguinte, dia 31 de Dezembro de 1460, Margaret de Anjou ordena que Richard seja decapitado e sua cabeça seja exposta nas muralhas de York com uma coroa de papel, como sátira à sua pretensão ao trono. Entretanto, a briga dos York pela coroa não acabou junto com a vida de Richard, em vista que seu filho, Edward, lidera a causa do pai e, mais tarde, conquista a coroa da Inglaterra, tornando-se Edward IV. 

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Foto do dia: The Tudors


Pintura de Henry VIII na série The Tudors, da Showtime.


[Séries] World Without End



World Without End é uma minissérie de oito episódios baseada no romance homônimo de Ken Follett, narra a história da Inglaterra, durante o século XIV, em que o rei Eduardo III leva a nação à Guerra dos Cem Anos contra a França. Pouco depois, a Peste Negra começa a alastrar-se pela Europa. É neste cenário que Caris, uma mulher visionária, e o seu amante Merthin vão inspirar Kingsbridge e enfrentar as mais poderosas força do seu tempo: a Igreja e a Coroa, lutando para salvar a cidade da ruína.se passa na Inglaterra em 1300. 
A série se passa 150 anos após os acontecimentos de Pillars of the Earth.



[Filmes] The Other Boleyn Girl (2008)




Baseado em uma história real, o filme mostra duas irmãs, Ana (Natalie Portman) e Maria (Scarlett Johansson) Bolena que, conduzidas pela ambição da família e na busca pelo poder e status, se envolvem em um jogo, onde o amor e a atenção do Rei da Inglaterra são o objetivo. Jogadas na perigosa vida da corte, o que era para ser uma tentativa de ajuda à família, transforma-se em cruel rivalidade entre irmãs. A primeira que consegue a atenção do rei Henrique VIII, (Maria), engravida. Então a sua família traz de volta Ana, que estava na França como dama de companhia da Rainha e ela conquista o rei, até o seu final trágico. O filme é uma adaptação do romance de mesmo título da autora de romances históricos Philippa Gregory. 




[Séries] The Pillars of the Earth







Os Pilares da Terra, é um arrebatador épico romance sobre o bem e o mal, traição e intriga, violência e beleza. A apaixonante história tem como pano de fundo guerras, conflitos religiosos e a luta pelo poder. Durante esse período, é construída uma magnífica catedral em Kingsbridge, na Inglaterra. As histórias de amor e guerra entre diferentes personagens se misturam às turbulências políticas da Inglaterra do século XII, criando um mundo relevante e atual para muitas gerações.



[Séries] The Hollow Crown



The Hollow Crown é uma minissérie de tv, composta por quatro episódios que adapta a obra de William Shakespeare. Narrando histórias que lidam com política, poder e intrigas, cada obra apresenta em sua sequência a ascensão e queda de três reis: o vaidoso Ricardo II, Henrique IV, que leva o país a uma guerra civil, e Henrique V, que enfrenta seus próprios demônios. No ano de 1399, o rei Ricardo é chamado para decidir uma disputa entre seu primo Henry Bolingbroke e Thomas Mowbray. Ele decide banir os dois do reino e confiscar seus bens e terras, o que enfurece John of Gaunt, pai de Bolingbroke, que está à beira da morte. Quando o rei parte para a guerra, Bolingbroke retorna para reclamar seus direitos, contando com o apoio de Northumberland e o Duque de York.




terça-feira, 29 de dezembro de 2015

[Hoje na História] Morte de Thomas Becket



São Thomas Becket  faleceu em 29 de Dezembro de 1170. Foi chanceler de Henry II, seu bom amigo e um dos homens de maior confiança do rei e, mais tarde, nomeado como arcebispo da Cantuária como recompensa por seu bom trabalho e para ter alguém de sua confiança para influenciar a Igreja Católica de dentro. Porém, com o novo posto, Thomas começou a ver a Igreja de forma diferente, passando a viver de forma humilde e com simplicidade, enquanto anteriormente exibia seu bom gosto junto ao rei. Desta forma, Thomas perdeu a amizade de Henry II quando começou a defender os direitos da Igreja, ao invés de amenizá-los, como era o combinado. 

Muitos historiadores afirmam que não foi Henry II quem ordenou a morte de Thomas Becket, pois o rei apenas teria se irritado com as atitudes do amigo e ter comentado se por acaso "ninguém poderia livrá-lo daquele padre" e, desta forma, seus cavaleiros ouviram e interpretaram a reclamação do rei como uma ordem, e, em 29 de Dezembro de 1170, entraram na Catedral e assassinaram Thomas Becket à sangue frio.  

Thomas ficou visto como um santo e mártir pelos fiéis e logo a Igreja Católica o canonizou como santo, em 1173. Existem lendas e relatos com relação ao santo Thomas Becket e seu túmulo se tornou o centro das peregrinações e orações, até o reinado de Henry VIII, quando o rei Tudor ordenou que todos os templos fossem destruídos e os ossos de Becket fossem queimados, dando lugar à sua nova religião na Inglaterra. Os restos de Becket estão na Capela Trindade, em Cambridge. 

[Revistas] Men at arms - Wars of the Roses - ed. 145




Formato: PDF
Tamanho: 33.5 mb
Idioma: Inglês



segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

[Hoje na História] Consagração da Abadia de Westminster



No dia 28 de Dezembro de 1065 foi consagrada a Abadia de Westminster. Ela é uma grande igreja em estilo gótico, localizada na cidade de Westminster e hoje é considerada a igreja mais importante e famosa de Londres. É na Abadia que são coroados todos os monarcas da Inglaterra desde  mundialmente por ser o local de coroação do Monarca do Reino Unido. 

A história da Abadia é curiosa, diz-se que, em 616 d.C., um pescador do Rio Tâmisa teve uma visão de São Pedro e celebrou um culto no mesmo local onde a igreja foi fundada, tempos mais tarde. Em 970 d.C., uma comunidade de Monges Beneditinos se instalou naquela região, mas apenas a partir de 1045 que a construção de um prédio físico para a Igreja foi iniciada, pelo rei Edward, o Confessor, conhecido popularmente por sua fé. 

Após sua morte, Edward foi sepultado na Abadia de Westminster. Em 28 de Dezembro de 1065 ela foi consagrada e no ano seguinte, o primeiro rei foi coroado ali após a reforma realizada pelo Confessor, foi Harold II. Criou-se a tradição de que todos os monarcas ingleses deveriam ser coroados ali, assim como todos os casamentos reais e sepultamentos dos monarcas e alguns nobres famosos também foram feitos na Abadia. Corpos de famosos como Sir Isaac Newton, Charles Darwin, Geoffrey Chaucer, William Shakespeare, Charles Dickens e Alexander Pope. 








[Livros] Lucrécia Borgia - Jean Plaidy

Mulher-veneno, dama incestuosa. Esta foi, durante séculos, a fama de Lucrécia Borgia, uma das mais polêmicas figuras do Renascimento. Filha do papa Alexandre VI, ela ganhou notoriedade como pivô de escândalos e crimes de inspiração política ou passional, ainda que, em quase todos, tenha sido apenas instrumento de interesses do pai e do irmão Cesare. Disposta a corrigir esta injustiça histórica, Jean Plaidy vasculhou a trajetória da mais proeminente representante feminina do clã dos Borgia. Neste livro, a escritora mostra, numa narrativa romanceada, o lado desconhecido de Lucrécia; a jovem criada numa sociedade corrupta, submetida a casamentos arranjados, que dedica boa parte da vida à contemplação da arte e à caridade.

[Livros] O Assassinato Real - Jean Plaidy

Perder a cabeça por amor. O sentimento nunca foi tão literal. Principalmente para as seis mulheres de Henrique VIII: Catarina de Aragão, Ana Bolena, Jane Seymour, Ana de Cleves, Catarina Howard e Catarina Parr. Pelo menos duas das então rainhas da Inglaterra morreram decapitadas. Das outras quatro, uma morreu, duas foram intimadas a conceder o divórcio e apenas uma sobreviveu. Em ASSASSINATO REAL, Jean Plaidy narra as intrigas da corte desse temperamental monarca, mas sob a feminina ótica de Ana Bolena. O livro também narra a infância e adolescência de Catarina Howard, desde suas aventuras românticas e sexuais até o casamento com Henry VIII e sua decapitação. 

[Livros] Catarina, a viúva virgem - Jean Plaidy

Para quem ainda não conhece, a autora Eleanor Hibbert escreveu inúmeros romances sobre a história da Inglaterra sob o pseudônimo de Jean Plaidy. 
O livro Catarina, a viúva virgem narra a história da jovem Catarina de Aragão, filha de Isabel e Fernando da Espanha. O texto é interessante e fácil de compreender, a autora ilustra a adolescência da futura rainha da Inglaterra quando ela era nada mais que uma menina cheia de sonhos e medos, como qualquer garota normal. Eu, que não era muito fã de Catarina de Aragão, me apaixonei ao conhecer um pouquinho mais dessa mulher que foi uma verdadeira rainha e enfrentou todas as dificuldades de sua vida de cabeça erguida. A jovem é prometida ao herdeiro do trono da Inglaterra, Arthur, filho de Henry VII, aquele que colocou um ponto final na Guerra das Rosas e casou-se com Elizabeth de York, coroando-se rei da Inglaterra e iniciando a dinastia Tudor.  
O livro tem um grande foco nas negociações acerca do casamento de ambos, assim como alguma participação da rainha, Elizabeth de York e de Henry VIII, obviamente. A narrativa não é centrada apenas no ponto de vista da princesa de Aragão, mas sim, aberta à todos os personagens, expondo seus anseios e pensamentos, envolvendo o leitor conforme a história vai acontecendo. Super indico! Um prato cheio pra quem ama esses romances históricos e morre de curiosidade de tentar reconstruir mentalmente tudo que aconteceu durante a grandiosa era de Henry VII e Henry VIII.


[Livros] Trilogia "A Revolução Francesa" - Jean Plaidy


Nesta nova e encantadora série, Plaidy revela para seus leitores a história do jovem rei Luís XV, que aos cinco anos herdou o trono de Luís XIV, também conhecido como O Rei Sol. Herdou também uma França problemática e inúmeros “conselheiros” que lutavam entre si pelo poder. 
O rei ficou conhecido por o bem-amado devido às suas incontáveis amantes, dentre elas a lendária Madame de Pompadour, que teve papel importante em seu governo, atuando como mecenas de diversos artistas e pensadores, como o filósofo Voltaire. 
Quando Luís XV de fato assumiu o trono, os problemas do país eram crônicos e ele deixou de ser o bem-amado para tornar-se odiado por seus súditos, assim como seu antecessor. 
A política interna de seu reinado enfrentou problemas graves com a aristocracia parlamentarista, que pretendia limitar o poder do monarca e chamar para si a representação da nação. Mesmo assim, o rei tentou ainda promover uma reforma fiscal para aumentar as arrecadações do Estado. A iniciativa também fracassou diante da oposição das classes privilegiadas em contribuir. Muitas guerras e conflitos aconteceram durante o período que Luís XV esteve no poder. 




[Revistas] History Revealed - Elizabeth Tudor


Ed. 8 - Outubro de 2014
Formato: PDF
Tamanho: 28.8mb

[Revistas] History Revealed - The Hundred Years War (Ed. 7. Setembro/2014)


Ed. 7 - Setembro de 2014
Formato: PDF
Tamanho: 23.3mb


domingo, 27 de dezembro de 2015

[Séries] Wolf Hall




A Inglaterra da década de 1520 está a um passo do desastre. Se o Rei morrer sem um herdeiro masculino, o país pode ser destruído pela guerra civil. Para evitar isso, Henrique VIII quer anular seu casamento de 20 anos com Catarina de Aragão e se casar com Ana Bolena. O Papa e grande parte da Europa se opõem a ele. Dentro deste impasse, surge Thomas Cromwell: um homem totalmente original, um encantador e um valentão, um tanto idealista e oportunista, astuto em ler as pessoas e implacável em sua ambição. Mas Henrique é volátil: num dia bondoso, no outro, assassino. Confrontando o parlamento, as instituições políticas e o papado, Cromwell ajuda a quebrar a oposição do Rei, mas qual será o preço de seu triunfo?


Minissérie com seis episódios.

[Revista] História Viva - Dossiê Tudor N° 110






Tamanho: 8,53 mb
Formato: PDF


Foto do dia: The Tudors

Natalie Dormer como Ana Bolena na série de tv The Tudors, da emissora Showtime. 


[Livros] A Saga dos Plantagenetas - Jean Plaidy





Prelúdio de sangue é o primeiro volume da Saga dos Plantagenetas da autora Jean Plaidy, que narra a história desta dinastia desde sua formação. A narrativa de Jean é clara e envolvente e neste primeiro livro, ela inicia com Eleanor de Aquitânia como protagonista, contando suas aventuras, desde a juventude, como tornou-se a herdeira mais cobiçada do território francês, assim como seu casamento com o rei da França, Louis VII, com quem teve duas filhas antes de divorciar-se (isso mesmo!). Eleanor torna-se uma personagem intrigante e envolvente, que faz com o que o leitor goste de suas aventuras e torça para que elas tenham um bom final. Do divórcio ao casamento com Henry II, os muitos filhos e filhas com o rei da Inglaterra, Jean retrata a Inglaterra e França daquela época de forma interessante e instigante, não sendo à toa que é sua maior coleção de livros. 

                                                Em pdf: 


Volume 7 - Eduardo I
Volume 8 - As loucuras do rei
Volume 9 - O juramento do rei
Volume 14 - Sol em esplendor





O Coração de Leão




Richard I se tornou o rei da Inglaterra após a morte de seu pai, Rei Henry II, sendo que reinou por dez anos. Embora tenha estado na Inglaterra por dois breves períodos, mesmo assim, é um dos reis da Inglaterra mais conhecidos. Após ser coroado, partiu em expedição à Jerusalém, utilizando todo o ouro que tinha em seu poder, vendeu títulos e cobrou altos impostos apenas para financiar suas campanhas militares, apoiado sempre por sua mãe, Eleonor. Casou-se com a Princesa Berengária de Navarra, por ordem de sua mãe. Antes dela, foi prometido à Princesa Alice da França, irmã de Philip II, rei da França e seu aliado poderoso, que o apoiou contra seu pai, Henry II, pela conquista da Inglaterra. Contudo, existiam fortes rumores de que Richard era homossexual e que havia tido um caso com Philip II e, por isso, sempre tivera seu apoio, assim como com Blondel, seu trovador e tocador de alaúde. O fato de não ter produzido nenhum herdeiro com sua esposa fortaleceu ainda mais essa ideia de sua homossexualidade, fazendo com que muitos historiadores até mesmo questionassem se o casamento de ambos tinha sido consumado algum dia. A Cruzada de Richard foi um fracasso e, quando retornada, foi capturado pelo Duque da Aústria e vendido ao Imperador da Alemanha, Henry VI. Como a Inglaterra não tinha a quantidade de dinheiro necessária para resgatar o rei, foi necessário subir mais uma vez os impostos, na esperança de reunir a quantia absurda que o Imperador alemão pedia. Quando a primeira parcela da soma foi paga, o Imperador alemão liberou Richard I, e a Inglaterra entrou em um sério declínio econômico. Richard morreu em 1199 após receber uma flechada no pescoço. Seu reinado foi considerado fraco e sem grandes acontecimentos, ainda que seja um dos reis mais famosos e retratados pela literatura inglesa. Richard nomeou como seu herdeiro o irmão John, conhecido popularmente como "sem-terra".

sábado, 26 de dezembro de 2015

[Séries] Reign - 1° e 2° temporadas



A série narra a ascensão ao trono de Mary, rainha da Escócia, quando ela chega à França, aos 15 anos de idade, com suas quatro melhores amigas que são damas de companhia, para se tornar noiva do príncipe Francis. A série detalha a história secreta de sobrevivência na corte francesa em meio a inimigos ferozes, às forças obscuras e um mundo de intriga sexual das quais Mary precisa sobreviver.

[Séries] The Borgias


Baseada na história da Família Bórgia, uma das mais lembradas famílias da história, a crônica se passa na Itália do século XV, durante o auge do Renascimento. A série começa no momento em que o patriarca, Rodrigo Bórgia, é elevado ao cargo de Papa, dando início a um grande e cruel jogo de intrigas e disputas. Todos os pecados são cometidos em nome do poder, influência e riqueza para sua audaciosa família.

Foto do dia: Reign



Adelaide Kane como Mary, rainha da Escócia e da França na série de tv da Warner Reign. 


[Séries] The Tudors



The Tudors é uma série de tv da emissora Showtime que retrata o reinado do famoso e polêmico rei Henry VIII da Inglaterra. Paixão, ambição e traição se transformam no fio condutor deste drama, que mostra um Henry VIII muito diferente do que aparece nos livros de história. Jovem, atraente e poderoso, mostra-se um rei da Inglaterra capaz de grandes proezas atléticas. Sem dúvida alguma, um monarca que não colocava os assuntos de Estado entre suas prioridades e que sempre deixava os problemas oficiais nas mãos do Cardeal Tomas Wolsen. Para aqueles próximos de "Sua Majestade", satisfazer o rei era uma faca de dois gumes. Henry VIII era até mesmo capaz de desafiar a instituição mais poderosa da Europa medieval: a Igreja Católica Romana. Também era conhecido por mandar executar seus súditos diante da mínima demonstração de insubordinação. Além de mostrar as alianças políticas mais significativas do monarca, a série gira em torno das companheiras femininas do rei: Catarina de Aragão e Ana Bolena. Também é dado destaque à particular relação que o rei mantinha com Charles Brandon, Cardeal Wolsey (chefe da Igreja Católica, no período de separação de Roma) e o filósofo Thomas Moore.






Henry II e o início da Dinastia Plantageneta



Henry II conquistou o trono da Inglaterra quando tinha apenas 18 anos, após vários anos liderando a guerra que seus pais, Matilda e Geoffrey Plantageneta, iniciaram contra Stephen Blois. Desde os 14 anos, foi envolvido nas batalhas e conquistou o poder com a morte do Rei Stephen, em 1154. Casou-se com Eleanor de Aquitânia, ex rainha consorte da França, esposa de Louis VII por 16 anos, que teve duas filhas com o rei francês e teve seu casamento anulado pelas constantes brigas do casal sob a desculpa de incompatibilidade sanguínea entre os dois por não conseguirem gerar um filho homem para herdar o trono. Eleanor era dez anos mais velha que Henry II, mas isso não foi impedimento para que os dois se mostrassem sadios e tivessem uma soma grande de filhos, sendo esta: cinco filhos e três filhas.

Quando Henry II assumiu o poder, estruturou a Inglaterra e transformou-a em
um reino. Como o país estava totalmente massacrado em decorrência da guerra, resolveu reorganizar o sistema judiciário, conforme Henry I pretendia, combinando o sistema de “juízes itinerantes” do avô com um sistema de júris criado por ele. Tal combinação foi nomeada como assizes, e isso significava que todos deveriam ter o direito de um julgamento para serem declarados culpados por seja lá qual fosse o delito que estavam sendo acusados. 

Após Eleanor descobrir que o rei tinha uma amante, Rosamund, separou-se dele, indo viver na Aquitânia e iniciando uma conspiraração contra o marido. Persuadiu os filhos a ficarem contra o pai e iniciarem disputas pela coroa da Inglaterra, antes mesmo de sua morte. 

Em 1183, o herdeiro do trono. Príncipe Henry, morreu e, em 1186, Geoffrey, o outro filho do rei também morreu devido à peste. Em 1188, Richard, seu filho mais velho, até então, se aliou ao Rei da França e derrotou o pai, que partiu para a Normandia. Quando Henry II descobriu que seu filho preferido, John, também conspirava contra ele acabou tomado por decepção e pouco tempo depois faleceu. Assim, Richard assumiu o trono, ficando conhecido como "O coração de Leão". 

sábado, 14 de novembro de 2015

Hoje na História: Casamento do Príncipe Arthur com Catarina de Aragão


No dia 14 de Novembro de 1501, Catarina de Aragão e Arthur, o então herdeiro Tudor de Henry VII se casavam. Um casamento que foi arranjado por aliança política, como era típico na época. Com curta duração, até hoje se especula se o casamento dos jovens foi consumado na época. Em vista que, por ter um estado de saúde muito delicado, diz-se que eles realmente nunca compartilharam da mesma cama, ainda que existam relatos da corte da época que eles tiveram relações, sim. 
Após Arthur morrer, no País de Gales, em 2 de Abril de 1502, Catarina foi mantida na Inglaterra. Henry VII esperou por cinco meses para confirmar que a infanta não estava grávida de Arthur, e, então, começou-se a especulação sobre o que aconteceria a seguir: o dote de Catarina deveria ser devolvido para a Espanha. Para que tal fortuna não lhe escapasse, Henry VII prometeu Catarina para seu segundo filho, Henry e iniciou-se a tramitação legal para que os dois pudessem se casar. É preciso levar em conta que, por ela ter sido casada com o irmão de Henry, para a Igreja Católica da época, isso era visto como se ambos tivessem adquirido um parentesco próximo e, portanto, assim como qualquer outro tipo de parentesco, era necessária a dispensa papal para que pudessem se casar. Desta forma, após ser provado para o Papa que Catarina ainda mantinha sua virtude, foi permitido o casamento, que após muito sofrimento de Catarina para manter-se quando Henry VII deixou-a de lado, após a morte de sua mãe, Isabel de Castela, foi finalmente aprovado o casamento quando o rei morreu e Henry VIII assumiu o poder. Assim, a virgindade de Catarina volta à pauta de questionamentos quando Henry VIII conhece Ana Bolena e põe a culpa de seus fracassos no fato de ter se casado com a esposa de seu irmão, o que, em sua concepção, seria uma punição divina para sua ruína e a falta de herdeiros masculinos. 

Hoje na história: Será que Ana Bolena e Henry VIII se casaram em 14 de Novembro de 1532?



Artigo traduzido do site The Anne Boleyn Files

Embora saibamos que Henry VIII e Anne Boleyn tiveram uma cerimônia de casamento privado e secreto em 25 de janeiro de 1533, o cronista Edward Hall, também registra uma cerimônia de casamento em 14 novembro de 1532, Dia de São Erkenwald:
"O rei depois de seu retorno, casou-se com a senhora Ana Bolena, no dia de São Erkenwald, na qual esse casamento foi mantido assim, tão secretamente, que apenas poucos sabiam, até ela engravidar, depois da Páscoa."
Henry VIII tinha acabado de voltar de sua viagem para Calais, depois de ter parado em Dover, na costa de Kent, às 5h da manhã. Sabemos pelas expedições de Eustace Chapuys, o embaixador imperial, que o rei passou alguns dias em Dover e nos arredores "com a finalidade de ter portos construídos na referida cidade, ou, pelo menos, de criar um amplo apelo para pedir dinheiro de seus súditos para as referidas obras", e que ele não chegou a Eltham Palace até 24 de novembro.Mas foi essa a única razão para o atraso do Rei? Ele pode ter desfrutado de uma lua de mel com sua nova noiva antes de retornar ao tribunal?
Nós não sabemos, mas não soa razoável. Essa pode ser a única fonte contemporânea para este casamento anterior, mas Ana e Henry começaram a ficar juntos  após a sua visita a Calais e Ana parece ter engravidado de Elizabeth antes de sua cerimônia de casamento secreto, em 25 de janeiro de 1533. Depois de anos de espera, o casal teria  arriscado um bebê ilegítimo? Acho que Henry estava confiante de que a sua "grande questão" em breve seria resolvida e assim, entrou em algum tipo de noivado ou casamento com Ana. Uma vez que seu casamento com Catarina tinha sido anulado, esse casamento seria o único legal.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Foto do dia: The Tudors

Jonathan Rhys Meyers, como Henry VIII, na quarta e última temporada de The Tudors, da emissora Showtime. 


segunda-feira, 9 de novembro de 2015

[Série] The White Queen





The White Queen é uma adaptação da série de livros da autora Philippa Gregory, The Cousin’s War. Com dez episódios, é considerada uma minissérie. A história acontece no período da Guerra das Rosas. Lutando pelo controle da Inglaterra, os Yorks, que representam a cor branca, e os Lancasters, que carregam a cor vermelha, travam uma guerra que dura 30 anos. A história é apresentada sob a perspectiva feminina representada pelas personagens Elizabeth Woodville, Margaret Beaufort e Anne Neville.


* A série está em formato de torrent. 

Foto do dia: The White Queen

Faye Marsay como a rainha Anne Neville, esposa de Richard III na série de tv da BBC The White Queen. 



A Guerra das Rosas


A Guerra das Rosas ou Guerra dos Primos foi uma série de batalhas pelo trono da Inglaterra (1455-1485). O rei do momento era Henry VI, da Casa de Lancaster e, por ser ineficiente e com traços de insanidade, tornando-se um rei cada vez mais fraco, Richard, da Casa de York, que até então era seu Lorde Protetor quis decretar que o rei era impossibilitado de governar e assumir o poder total da Inglaterra, deserdando o único filho de Henry VI, príncipe Edward. Isso fez com que toda a raiva de Margaret D'Anjou, a rainha, se voltasse para Richard e logo iniciou-se a Guerra que ganhou o nome de Guerra das Duas Rosas porque o símbolo das duas Casas eram rosas, sendo os York, uma rosa branca e os Lancaster, uma rosa vermelha. O motivo principal pelos York terem direito à deserdar o rei era que ambas as casas eram descendentes de Edward III, da dinastia Plantageneta. Quando Richard morreu em batalha, seu filho, Edward assumiu a Guerra do pai e conseguiu coroar-se rei da Inglaterra em 1461, nomeando-se Edward IV, o primeiro York no poder.
Edward sempre foi visto como um "usurpador", mas acabou tornando-se um rei bastante amado. Casou-se em segredo com Elizabeth Woodville, a filha viúva de um pequeno nobre e, com ela, teve nove filhos, dois destes, seus herdeiros, Edward e Richard. 
Quando Edward morreu precocemente, com pouco mais de quarenta anos, seu irmão mais novo, Richard, deu uma rasteira naquele que deveria ser o rei, Edward V e coroou-se rei da Inglaterra, consumindo com a vida dos dois sobrinhos, um mistério que até hoje jamais foi explicado. Como seu único filho havia morrido, assim como sua esposa, Richard III se viu sem herdeiros, o que estimulou com que um parente longínquo de Henry VI conseguisse reunir exércitos para conquistar a Inglaterra e iniciar a tão famosa Dinastia Tudor. Assim, Henry Tudor torna-se Henry VII, após a morte de Richard em batalha e, assim, começa sua longa dinastia. 

  • Para conhecer um pouco mais do assunto, fica a dica para assistir a série The White Queen, criada pela BBC (em breve link para download);
  • Caso tenha interesse por leitura, os livros da autora Philippa Gregory são romances que relatam a Guerra das Rosas e também são os mesmos volumes na qual a série The White Queen foi inspirada. 




segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Foto do dia: The White Queen


Max Irons como Edward IV e Rebecca Ferguson como Elizabeth Woodville na série The White Queen, produzida pela BBC em 2013.


A Dinastia Plantageneta


Plantageneta é uma Casa inglesa que reinou na Inglaterra no período de 1154 até 1399. Foi fundada por Geoffrey de Anjou, que ganhou o apelido de plantageneta por usar uma flor de mesmo nome em latim sempre. A Dinastia Plantageneta teve início quando Geoffrey casou-se com Matilda, única filha e herdeira do rei Henry I da Inglaterra, entretanto, Geoffrey nunca chegou à posição de rei, quando Henry I morreu, o primo de Matilda, Stephen de Blois roubou-lhe a coroa com o apoio da nobreza por repudiarem o fato de ter uma mulher no poder, como rainha governando um país, então, Matilda e Geoffrey deram início à uma guerra que ficou conhecida como A anarquia. Para resumir a história, eles passaram a vida lutando pelo trono da Inglaterra e só o herdeiro de Matilda e Geoffrey conseguiu colocar fim à guerra, assumindo o poder e tornando-se o primeiro rei dessa dinastia que duraria 245 anos. 

Reis dessa dinastia:

  • Henry II (1154-1189);
  • Richard I (1189-1199);
  • John  (1199-1216);
  • Henry III (1216- 1272);
  • Edward I (1272-1307);
  • Edward II (1307-1327);
  • Edward III (1327 -1377);
  • Richard II (1377-1399).